Couro, escama, tilápia renovada!

Depois de levar o nome da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) como grande vencedora do Prêmio Santander Universidade Solidária 2011, a Proposta de capacitação em aproveitamento de resíduos de tilápia (Oreochromis sp.) continua com planos para crescimento do projeto.

Coordenado pelas professoras, do curso de Engenharia de Pesca da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST), Juliana Maria Aderaldo Vidal e Juliana Ferreira dos Santos e pela professora Weruska de Melo Costa, do Departamento de Biologia/Ecologia da UFRPE-Sede, a iniciativa objetiva, por meio de capacitação, novas técnicas de processamento para o aproveitamento de resíduos da tilápia, criando produtos gerados na atividade de filetagem. Então daquele peixe, que habitualmente a carne é comida e o resto vai para o lixo surgem biojoias, peças de artesanato, óleo, entre outros produtos.

A pele e a escama, geralmente desperdiçadas a partir da comercialização do peixe no mercado de Serra Talhada, passam a ser aproveitada pelos membros da Associação de Pescadores do Açude Saco, com o intuito tanto de evitar a contaminação do ambiente quanto de valorizar o potencial econômico desses materiais, gerando renda a pescadoras e pescadores.

A UFRPE-Sede forma novo grupo, com a professora Weruska, para começar a trabalhar com todos os resíduos do pescado, buscando novas formas de aproveitamento e de utilização de gestão social e sustentabilidade ambiental, fazendo com que a comunidade, a principio de Maria Farinha, envolvida possa trabalhar com os resíduos. Serão selecionadas 20 pessoas da comunidade para começarem a fazer cursos a partir do segundo semestre e aprender a trabalhar com escamas, couros e conchas.

A primeira produção da Associação de Pescadores do Açude Saco, feita junto à UAST, será distribuída para a Reitoria. Serão 100 peças de pesos de papel, com previsão de entrega em fevereiro de 2012, trabalhadas em vidro e escama da tilápia. A ideia já avança a dois anos levando no curriculum um total de seis projetos aprovados pela Extensão Rural (Proext).

No final deste ano a UFRPE/UAST finaliza o projeto com a comunidade de Serra Talhada e para não perder tempo emplaca já uma nova marca para não perder o contato e continuar acompanhando os moradores que exercem o trabalho. A professora Weruska de Melo Costa acredita que esse é um trabalho com começo, meio e fim. Visão, desenvolvimento local e gestão; para gerar continuidade e atualização, sem deixar de lado as riquezas culturais das comunidades.

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) fica feliz em poder apresentar a sociedade um projeto inovador que visa a agregar a Universidade e a comunidade, capacitando e gerando novas oportunidades e grandes expectativas.

 

Fonte: http://ufrpe.br/noticia_ver.php?idConteudo=10318